quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Feira Medieval de Silves

Em foto reportagem!

Apesar de não termos ido a Silves por causa da Feira, calhou a Feira estar por lá, e claro que aproveitamos para ver algumas coisas. Não deu para mais pois tínhamos que apanhar o comboio de regresso a casa, mas deu para os miúdos fazerem umas actividades engraçadas e vermos um desfile da época. 

Todos se divertiram de alguma maneira apesar de já estarmos todos muito cansados nesta hora.
Ficou a vontade de voltar para o ano, mas de carro para poder ficar mais tempo. 















quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Castelo de Silves

Antes de iniciarmos a subida ao castelo, para a prometida visita e depois da viagem de comboio e caminhada a pé  era preciso repor energias. 
Todos sentados numa boa esplanada, ainda bem cedo e antes da confusão almoçamos calmamente, querendo isso dizer apenas 1 copo partido, 4 ou 5 talheres no chão, 1 sumo entornado, algumas saídas e fugidas da mesa, o normal, portanto.



Primeira paragem, largo da sé para um café, gelados e muita água! E claro, descansar, preguiçar, e estudar o resto do caminho até à porta do castelo. 





E lá estava ele, o "reio" mas não é o que mora no castelo (esse não estava em casa) este é o "reio que se pode tocar", palavras do Zé, de 3 anos. 


As vistas do castelo, tudo lá tão longe. E olha, ali o caminho que fizemos da estação até Silves!! E a ponte romana!




E o que seria deste passeio sem o babywearing? Sim, na recepção do castelo estavam uns poucos carrinhos de bebé estacionados, e nem vou dizer dos que vi a empurrarem rua a cima até lá! UFA!


Maminha, sempre, muita e em qualquer lugar.


Vês, ali era a parede do quarto do "reio", mas agora já não é! O Zé mais uma vez a explicar as ruinas dentro do castelo.



E as caixas de luz da cidade que estão tão giras. Os miúdos pararam e comentaram em cada uma que passamos.


terça-feira, 22 de agosto de 2017

Uma viagem de comboio!

Logo no inicio das férias disse-lhes que podiam programar e organizar uma viagem de comboio, dentro do Algarve, de modo a que os 3 que ainda não tinham andado pudessem ter essa experiência.

Olhando para a linha do Algarve e para as estações e apeadeiros surgiu Silves como destino. É bonito, tem um castelo e  são só 30 minutos de viagem.
O Tiago fez os cálculos dos custos, com comboio e visita ao castelo, viu os mapas, analisou as distâncias.

Estava tudo planeado, até eu me lembrar de perguntar no Facebook se era ou não possível ir a pé da estação para a cidade. Recebi muitos comentários de amigos, conhecidos e desconhecidos, e quase todos eram a desaconselhar que fizéssemos esse caminho a pé, principalmente com crianças! Confesso que fiquei algo alarmada, o google map dizia-me que eram apenas 2 km mais ou menos planos e havia gente a falar em 3 ou 4, em subidas e descidas e estrada sem bermas ou passeios.

O pai Fura Bolos manteve-se tranquilo e disse com razão “vamos e quando chegarmos lá decidimos se vamos a pé ou chamamos um táxi” e pronto, fomos!

O comboio!
A excitação, principalmente do Zé por ser mais novo, mas a Teresa e o João também estavam muito entusiasmados. O Tiago, a Rosita e a Julieta já tinham ido a Lisboa por isso não era tão excitante assim.
Os bilhetes. 
A senhora da estação tirou os bilhetes para todos os que já pagam, os adultos, o jovem e as crianças, e os 2 bebés ficaram sem bilhete, mas o Zé não ficou satisfeito com isso.

Quando o revisor chegou ao pé de nós, o Zé perguntou “Onde está o meu bilhete, o sr revisor percebeu a preocupação legitima do Zézito e da sua máquina portátil tirou um “bilhete” em branco e deu ao Zé! Que feliz ele ficou e não largou mais aquele pedacinho de papel, o seu primeiro bilhete de comboio! 



Saímos do comboio um bocado baralhados, uma outra família com 2 miúdos estava na mesma, queria ir a pé para Silves, estrangeiros, e entre eles e nós e os smartphones lá percebemos para que lado tínhamos que ir. Não perguntamos a ninguém porque a estação de Silves são apenas paredes, ou seja é uma estação fechada sem ninguém...

E começamos a andar. Sem grandes problemas. Uns metros à nossa frente ia a outra família, que de repente arranjou boleia e lá se meteram os 4 num carro que parou para os levar ... Os nossos miúdos ficaram um bocado afetados e resolveram começar a pedir boleia a todos os carros que passavam, apesar de nos fartarmos de dizer que somos muitos e não dá! 
Mas entre as ideias de boleia, as estratégias para irmos todos num carro e os suspiros "ainda falta muito?" 





Avistámos o castelo e tudo se tornou mais leve e próximo! Depois havia uma ponte romana para passar e a cidade estava logo ali!

Chegamos! Sempre em segurança, em 20 minutos e na hora pior do calor, meio dia!! Bebemos litro e meio de água e transpiramos um bocado, mas até o Zé andou a maior parte do percurso.




O que aprendi? Que tudo é uma questão de perceção pessoal. Nos comentários havia gente a falar em estrada perigosa, em impossível com carrinho de bebé, em calor abrasador (sim, aqui até tinham razão), em distância de mais para as crianças e nós o que percecionámos / experiênciamos ? 
São 2 quilómetros e pouco, de um caminho fácil, com bermas ou passeios e perfeitamente acessível para famílias. Com carrinho de bebé realmente deve ser mais complicado, nós não usamos, preferimos babywearing, e com os mais pequenos é preciso dar sempre a mão. 

Ao chegar, os miúdos ficaram contentes por termos conseguido, e tão depressa. 
Lembram-se da família da boleia? Pois bem, passaram por nós quando já estávamos bem sentados numa esplanada para almoçar! Reacção dos miúdos "olha vieram de boleia e chegaram depois de nós" ah ah ah 

À noite no regresso optamos por ir de taxi, 2 taxis, para a estação, ficou em 6€ cada taxi e chegamos em 10 minutos. O percurso de noite é realmente mais perigoso, não tem luz e é a subir. 

O pior ... nesta foto estávamos há 10 minutos à espera do comboio ... e ele chegou 1 hora atrasado!!! 
Conseguem imaginar o drama, 6 crianças cansadas de um dia inteiro de visita a uma cidade ... 2 adultos moídos e serem 10 da noite e a estação ser tipo casa fantasma?!!!

Mas conseguimos! Fizemos a nossa viagem de comboio planeada pelos miúdos. 


Amanhã a visita a Silves! Aqui no blog. 

domingo, 20 de agosto de 2017

Festa de aldeia

Quem não se divertiu em criança num bailarico de Verão? Ou mesmo agora, em adulto?
Um baile de Verão pode ser tão divertido para adultos como crianças e um bom programa para uma noite de férias.

O fim de semana passado fui com os miúdos à aldeia de Barão de S. Miguel, à festa. Jantamos por lá frango assado e uns pipis, mais ao jeito de petisco e fomos ouvindo a musica divertida da Jô-Kina & os BaKorinhos.

O Zé estava embasbacado a olhar para a banda e ora dançava, batia palmas ou simplesmente o pezinho! Estava em grande, divertido e muito entusiasmado com a música. O verdadeiro "showman".

O Tiago fartou-se de rir com as letras das músicas.

Os outros deram um pezinho de dança, mas estavam mais envergonhados.

Mais uma ideia para as noites de férias. As festas são normalmente gratuitas e só se gasta dinheiro se quisermos. Os miúdos divertem-se e nós sempre temos um serão diferente.







video

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Tiago, o teenager!

Foi o primeiro a nascer, foi o primeiro a fazer 1 ano, foi o primeiro a ir para a escola ... é o primeiro teenager cá de casa!
Ser o primeiro, caramba, que responsabilidade, para ele a para nós!

Parabéns miúdo, que és lindo, por fora e por dentro, com os teus cabelos escuros e olhos misteriosos,com a tua inteligência, criatividade, rabugice qb, traquinices, gargalhadas ... enfim, com tudo o que és!

O nosso primeiro teenager, um grande desafio como pais, uma grande aprendizagem para todos.
Tenho dias em que não me sinto capaz de tamanha responsabilidade, tenho outros que levo com a maior das naturalidades!
Fará parte do processo, certo? Para quem já passou por aqui, digam-me tudo!

Parabéns miúdo!





Fantoches na Lua

Mais uma actividade gira para fazer com os miúdos ao sábado de manhã.

No Até à Lua há teatro de fantoches 1 vez por mês, nós fomos ao ultimo e gostamos muito.
Assistimos ao Capuchinho Vermelho, mas numa versão única e inspirada em muitas das versões que existem por aí.
Todos gostaram, a Rosita com 12 meses e o Tiago com 12 anos, foi divertido e inspirador, já que chegaram a casa e foram fazer fantoches para fazerem um teatro cá em casa.









Para ficarem a saber tudo sobre estas e outras actividades, consultem a página Até à Lua e façam like. 

Fotos do Até à Lua

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Chapéus há muitos!

e sapatos também!

Coisas que se podem fazer com os miúdos numa tarde de férias de Verão, ou coisas que eles naturalmente fazem sozinhos numa tarde de férias de Verão.

Há muitos anos que não uso saltos altos, foi coisa que larguei praticamente desde que vim morar para o Algarve, por isso cá em casa os miúdos não têm oportunidade de brincar assim, mas na avó paterna a coisa muda de figura!

Chapéus do avô, saltos da avó, óculos escuros de um, chapéu de outro e dá para umas boas gargalhadas e umas fotos bem divertidas!

Tirei umas 100 ... mas fiquem com esta compilação.


P.S. - sim o Zé está de saltos altos, e divertiu-se tanto!